Malmequer

Começo por ficar chateada sem querer

As vossas mãos dadas ainda são difícil de ver,

Partilhando dos mesmos tolos sorrisos

Como se tivessem descoberto novos paraísos.

Saber que coras com os mesmos elogios

Dados por outros lábios que não os meus frios,

E tanto que precisava de aquecer os meus

Mas nestas noites já não sou o teu último adeus.

E o exagero de perfume quando se acham

Entra, corrói quando à minha beira passam,

Mais difícil só deitar na nossa cama vazia,

Sabendo que ela te verá nas primeiras horas do dia.

Hoje sei e admito que nunca foste tão feliz,

E apesar de ainda te amar, sempre foi isso que quis,

Tento engolir todos os ‘Quero-te de volta’

Mas não consigo esconder que me causa revolta.

Desfolho-me destas e todas as outras lembranças

Enquanto em lágrimas vos vejo trocar alianças

Nenhuma pétala resta deste malmequer

Para grande alegria de quem bem me quer.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s